CLAM - Principal  

TAGs

Traduzir

EM DESTAQUE | Debates CLAM
 
Brasil

Como ser resistência?

Aborto e movimento feminista no Brasil conservador

Com Carla De Castro Gomes, Emanuelle Góes, Gabriela Rondon, Morgani Guzzo, Paula Viana e Alessandra Brigo.

Quarta-feira 16/09, 18h, no canal YouTube do CLAM.

O projeto Gênero & Desigualdades (Pagu/Unicamp e Numas/USP), juntamente com o Centro Latino-americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) apresentam o programa Debates, evento mensal on-line que busca discutir as questões de gênero, desigualdades e saúde.*
 
Neste segundo episódio, no dia 16/09 às 18h, trataremos o tema “Aborto e movimento feminista no Brasil: como ser resistência no contexto conservador?” Vamos refletir sobre os últimos ataques ao acesso ao aborto legal no Brasil e sobre as articulações dos movimentos feministas para atender estes casos, mas também sobre a importância destes movimentos no avanço da legalização e legitimação do aborto.
 
Para este debate, contamos como convidadas, com:
 
CARLA DE CASTRO GOMES, pós-doutoranda do PAGU/Unicamp. Atualmente pesquisa movimentos sociais pró e anti-descriminalização do aborto.
 
EMANUELLE GÓES, Enfermeira, Doutora em Saúde Pública, pós-doutoranda do Cidacs-Fiocruz-Bahia, Pesquisadora associada do Musa/ISC/UFBA.
 
GABRIELA RONDON, Advogada, mestre e doutora em direito pela UnB. Co-diretora na Anis - Instituto de Bioética. Membro da clínica jurídica Cravinas - Prática em direitos sexuais e reprodutivos da UnB.
 
MORGANI GUZZO, Jornalista no Portal Catarinas, pesquisadora do Laboratório de Estudos de Gênero e História (Legh/UFSC) vinculado Instituto de Estudos de Gênero (UFSC), doutora em Ciências Humanas pela UFSC, ativista autónoma da Frente Catarinense de Luta pela Descriminalização e Legalização do Aborto e conselheira do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Santa Catarina.
 
PAULA VIANA, Feminista, Enfermeira, Arteterapeuta. Integrante da Secretaria Executiva Colegiada do Grupo Curumim. Integrante do Comitê Estadual de Estudos da Mortalidade Materna de PE, Coordenação Colegiada do Comitê de Estudos da Mortalidade Materna de Recife. Integrante do Grupo Impulsor da Frente Nacional Contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto.
 
ALESSANDRA BRIGO, mestre em Antropologia Cultural, doutoranda em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ e em Antropologia Cultural e Social pela Università degli studi di Milano – Bicocca, pesquisadora do CLAM/IMS/UERJ.
 
A aula aberta ocorrerá AO VIVO na próxima quarta-feira, 16 de setembro, a partir das 18h, pelo canal do CLAM no Youtube.
Perguntas da plateia online serão encaminhadas às convidadas. Depois, tudo fica disponível também nas redes sociais do Pagu, do Numas e do CLAM, para que seja possível compartilhar a reflexão produzida coletivamente.
 
 
 
* O projeto GÊNERO & DESIGUALDADES é uma realização em parceria do Núcleo de Estudos de Gênero Pagu (Cocen/Unicamp) e do Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença (PPGAS/USP), sob organização das pesquisadoras Regina Facchini (Pagu/Unicamp) e Carolina Parreiras (Numas/USP). Tem por objetivo divulgar trabalhos e reflexões clássicas e contemporâneas com foco em gênero e em suas articulações com outras diferenças e desigualdades. Esta atividade foi produzida em parceria com o Centro Latino-americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ), a partir da articulação com as pesquisadoras Alessandra Brigo e Viviane Mattar.

Publicada em: 13/09/2020



IMS/UERJ - R. São Francisco Xavier, 524, 6º Andar, BL. E - 20550-013 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil